sexta-feira, outubro 31, 2014

NAVEGAR É PRECISO. É POSSÍVEL NAVEGAR


Não importa como. Navegar é preciso. Utilizando, inclusive, recursos naturais, como fez a ave das fotos, um socó, velho habitante do Rio Aririú.

Quero contar, que ainda lembro muito bem da navegação, em meados dos anos 1950. Canoas de garapivu, bateiras montadas com madeira e pregos de cobre, calafetadas com alcatrão, batelões e os saudosos botes à vela.

Uma verga de bambu, um remo artesanal, uma vela aos ventos, tudo isso era utilizado para impulsionar essa navegação rudimentar, mas muito eficiente.

Meu avô paterno, da tribo Espíndola, usava canoas e lanchas, na pescaria de tainhas, anchovas e outras espécies marítimas. Claro que também pescava camarão, tanhotas e parati, no Rio Aririú e no Rio Cubatão.

Já o avô materno, Zé Manduca, da tribo Alves, pescava muito pouco. Se ocupava bem mais com as roças de mandioca, aipim, milho, feijão. Cuidava do gado, e fazia farinha no engenho.

Mas, também exercia a atividade paralela de “pombeiro” – até hoje não entendo o porquê do nome, pois não negociava com pombos. Porém, sabe-se que pombeiro é um comerciante ambulante que compra e vende de tudo um pouco. É um personagem folclórico dos Açores e do litoral catarinense.

Zé Manduca comprava e vendia, sim, galinhas, ovos, verduras, frutas, charque, açúcar mascavo, lenha. Comprava dos vizinhos, ia longe recolher as mercadorias, e revendia no Mercado Público, em Florianópolis.

O transporte, para entregar essas mercadorias aos clientes, na Ilha, utilizava o sistema aquaviário, ou hidroviário. Esse é o ponto dessa conversação. O velho Zé Manduca usava um bote à vela como meio de transporte.

Duas ou três vezes por semana, o bote de velas brancas partia do “porto”, na Vila Nova, bem cedinho, antes do sol nascer. Navegava pelo Rio Aririú até alcançar a Baía Sul. Costumava retornar, do Mercado Público, sempre no comecinho da tarde, trazendo querosene, ferramentas, cordas, sal, açúcar refinado. Para consumo próprio e para revender.

Fui caroneiro do bote de peroba, algumas vezes. Lembro ainda, da minha satisfação de menino, vendo o sol nascendo, avermelhado, enorme, por cima das águas, que batiam crespas no casco do barco.

Ainda lembro... Costumava passar a noite acordado, espreitando, com os ouvidos atentos a qualquer ruido, os olhos arregalados, caçando a primeira luz da lamparina. A luz e o galo, que cantava para anunciar o dia, me convenciam a pular da cama. Mesmo numa madrugada fria. É que o Vô Manduca estava preparando o bote para partir.

Estou, apenas, pretendendo dizer que navegar é preciso. Que é possível navegar. Que o transporte marítimo, interligando Palhoça, São José, Florianópolis e Biguaçu, é uma excelente alternativa, para amenizar os problemas decorrentes da falta de mobilidade urbana.

A ave das fotos, um socó pousado sobre uma jangadinha improvisada, um “bote” de entulhos, está indicando o caminho da navegação. Navegar é preciso. É possível navegar.
[31 10 14]

Fotos: Baby Espíndola Repórter





BAIRRO DE PALHOÇA FICOU SEM ENERGIA POR MAIS DE QUATRO HORAS


O Bairro Pacheco, a cerca de cinco quilômetros do centro de Palhoça, ficou sem energia elétrica, por mais de quatro horas. Os plantonistas da Celesc restabeleceram o fornecimento de energia há aproximadamente dez minutos.

O acidente, que interrompeu o fornecimento, aconteceu logo depois das 19 horas dessa quinta-feira (30), na “Estrada Geral” do Bairro Pacheco, em frente à Agropecuária Júnior, bem perto da ponte que cruza o Rio Aririú e que dá acesso ao CT do Figueirense.

Segundo informações, um cabo de alta tensão se rompeu, mas permaneceu energizado. Pessoas que moram perto, passaram a alertar os motoristas sobre o perigo, inclusive colocando galhos de árvore como sinalização improvisada.

Mesmo assim, o motorista de um ônibus da Jotur não conseguiu parar a tempo e se embrulhou com o fio energizado. Testemunhas atestam que aconteceu um cenário de horror. O coletivo arrastou o fio que puxou e sacudiu intensamente o poste, provocando uma sequência de descargas e estouros, “como trovão”, disseram.

Bolas de fogo invadiram a escuridão, provocando o pânico entre os passageiros, bem como aos motoristas que foram parando na fila.

Os usuários do transporte coletivo queriam descer, mas foram impedidos e alertados sobre o perigo de tocar no chão possivelmente energizado, ou na própria lataria do ônibus. Felizmente, ninguém se feriu.

Dois técnicos da Celesc fizeram todo o trabalho de restauração da fiação e restabeleceram o fornecimento de energia.

>>> Fotos: Baby Espíndola Repórter 






quinta-feira, outubro 30, 2014

DILMA NÃO TEM PROJETO PARA O BRASIL VOLTAR A CRESCER


Sem projeto viável, sem propostas, Dilma Rousseff é a cara da desolação

Na campanha eleitoral do segundo turno, Dilma Rousseff falou demais, prometeu o que jamais terá condições de cumprir.

Dilma Estela Rousseff dilacerou a ética e injetou ainda mais veneno, nas veias do País. Muito mais do que fez Lula da Silva. Dilma e Lula enganaram e trapacearam. Criaram um laboratório de calúnias, cujo produto final foi digerido por mais de 50 por cento dos eleitores.

Com propostas vazias, sem base de sustentação, Dilma se apresentou à Nação como governo novo, como se fosse uma candidatura de oposição.

E agora, ao final da eleição mais vulgar da história da República, a presidente não tem um projeto para guinchar o Brasil do atoleiro, da crise econômica e moral em que se encontra.

Até agora, o fato novo, é a continuação da escalada de aumento dos juros bancários. A titia “coração valente” teve a coragem de aumentar os juros, quando os empresários, o povo em geral, esperavam uma redução da taxa Selic, agora fixada em 11,25% ao ano.

Na ausência de projetos, Dilma Rousseff, que de fato não tinha um plano de governo, está transferindo, ao inválido Congresso Nacional, a responsabilidade de criar alternativas. Ao mesmo tempo em que retorna à ultrapassada ladainha de plebiscito. Através de um plebiscito, a presidente tenta, pela segunda vez, responsabilizar o povo pelo caos que se instalou na Nação.

Porém, enquanto persiste essa falta de iniciativa do Palácio do Planalto, os brasileiros continuam cobrando propostas de reforma. As reformas necessárias para o Brasil voltar a crescer.


domingo, outubro 26, 2014

POVO DE JUNHO, HOJE É O DIA D. DE MUDANÇAS


É o dia “D”. De nos livrarmos da maldita estrela solitária. Estrela de sangue, de terror, de guerrilha, de invasões de terras produtivas, de censura e depredação da imprensa.

Baby Espíndola

Bom dia. Dia bom, para mudanças.

Hoje, estamos vivendo um momento histórico. Certamente, nos lembraremos dessa data, por muitos anos. Esse 26 de outubro não é apenas a data de uma eleição. Porque essa é a oportunidade de escolhermos entre o bem e o mal.

De um lado, estão aqueles que nos aprisionam com ideias absurdas, que nos aproximam de ditaduras sanguinárias. Que defendem criminosos de favela e de palácios. Que protegem bandidos internacionais, com status de exilados políticos. Do outro lado estão aqueles que amam e protegem menores que praticam crimes hediondos. 

Devemos nos posicionar, unidos, em busca da paz e da ordem. Devemos ser fortes, para votarmos na mudança, na constitucional alternância do poder.

Oito anos para o canalha Lula da Silva. Quatro mais quatro para Dilma-Estela guerrilheira. Depois, mais dois mandatos para Lula, criador de mensalões. E, possivelmente, oito anos para Zé Dirceu... É demais. Seria a ditadura, mascarada através do voto de dominação. Voto de cabresto.

Chega. Chega, porque não se faz um país apenas dando esmolas do bolsa-voto. Não se constrói uma nação com falsas estatísticas. É como construir uma moradia com alicerce de papel.

É o momento importante para dizermos, juntos, basta de corrupção, corrupção endêmica, sistemática, institucionalizada, com todos roubando. Enquanto, a nós, cabe o direito de assistirmos a turma da cueca vermelha roubando. Roubando e rindo de nós. E sendo tratados como heróis nacionais.

É o dia “D”. De mudanças. Dia do chega. Chega de violência e impunidade. Momento de enfrentarmos os assassinos, ladrões, corruptos e jogá-los todos, numa vala comum. Talvez na prisão de Guantánamo. Isso, nós podemos fazer através do voto.

Momento inesquecível para começarmos um processo de fechamento das fronteiras com os países podres, cujos governos vermelhos, ditatoriais, incentivam a produção de drogas e contrabando de armas.

Não é a mudança de um candidato, de um partido político. É uma mudança de consciência, mobilização da Nação. De um povo que necessita de mais segurança, justiça, conhecimento e desenvolvimento.

Hoje, é o dia “D”. De nos livrarmos da maldita estrela solitária. Estrela de sangue, de terror, de guerrilha, de invasões de terras produtivas, de censura e depredação da imprensa.

Vamos instalar, em nossas vidas, em nossas almas, a imagem das 27 estrelas que nos unem. Que unem todos os brasileiros em um único coração, de amor, de compreensão, de trabalho e progresso. Sem o rancor que os falsos líderes vermelhos nos impuseram, nos últimos anos.

Hoje é o dia “D”. De voltarmos a crescer. O vizinho Paraguai já fez isso, há dois anos, e está dando certo. Nossos irmãos brasiguaios sabem disso.

O Brasil poderá ser o exemplo para o Continente. Se o nosso país impuser uma derrota aos tiranos, aos saqueadores, mentirosos levianos, caluniadores, guerrilheiros e defensores de terroristas, com certeza, teremos dias melhores.

Povo de junho. Povo heróico, é hora de ocuparmos as ruas, de forma ordeira e pacífica. É hora de votar.

[26 10 14]


sábado, outubro 25, 2014

CENSURA, VANDALISMO E TERRORISMO CONTRA A IMPRENSA

OAB e Abert condenaram a invasão da Revista Veja. Ex-ministro de Lula, envolvido em corrupção, elogiou os invasores


Cerca de 200 estudantes de guerrilha, terrorismo, vandalismo e pichação, militantes de extrema esquerda da União da Juventude Socialista, atacaram o prédio onde fica a sede da Editora Abril, em Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo, na noite de sexta-feira (24 de outubro).

O ataque, que lembra a Venezuela, foi praticado em represália porque a Revista Veja, da Editora Abril, publicou uma reportagem sobre o escândalo da propina na Petrobras. 

A revista afirma que o doleiro Alberto Youssef disse, em depoimento à Polícia Federal, que a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tinham conhecimento de um suposto esquema de corrupção na Petrobras, que abasteceria campanhas do PT. Como se isso fosse novidade para os brasileiros.

Três estudantes de cueca vermelha foram detidos, prestaram depoimentos e foram liberados. Depois, foram festejar a façanha, ao lado dos patrões criminosos.

De acordo com o boletim de ocorrência, registrado no 14º DP, de Pinheiros, por volta das 20h de sexta-feira, cerca de 200 pessoas se reuniram em frente ao prédio da editora, com o apoio de um carro de som da União da Juventude Socialista.

Os vândalos jogaram muito lixo em frente ao prédio e picharam frases como “Veja mente” e “Fora Veja”, e promoveram destruição. Exemplares da revista foram rasgados.

A Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) afirmou em nota que “repudia veementemente os ataques”.  A OAB também condenou o ataque.

Esse ataque à Veja é indício de tempos tumultuados, no futuro. O tom de voz usado pela presidente-candidata, Dilma Rousseff, no debate da TV Globo, pode ser interpretado como um incentivo à desordem.


A capa, que denuncia Dilma e Lula, em mais um grave esquema de corrupção. A publicação deixou os petistas raivosos

CENSURA PRÉVIA >>> Antes do ataque de vandalismo, a revista Veja já havia sofrido outro golpe. Nessa sexta, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) concedeu liminar, que proíbe a editora Abril, responsável por publicar a revista Veja, de fazer propaganda em qualquer meio de comunicação, da reportagem de capa segundo a qual a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teriam conhecimento do esquema de corrupção da Petrobras.

A reportagem diz se basear em depoimento prestado na última terça pelo doleiro Alberto Youssef no processo de delação premiada a que ele se submete para ter direito à redução de pena.

O pedido para impedir a publicidade da matéria foi apresentado pela campanha de Dilma na tarde desta sexta-feira. A defesa da petista requereu, ao tribunal, que a revista se abstivesse fazer propaganda de sua capa, que tem, na opinião dos advogados de Dilma, conteúdo ofensivo à candidata à reeleição. Para a campanha petista, uma eventual publicidade do caso tem por objetivo único beneficiar a candidatura do tucano Aécio Neves.

Em sua defesa, a Editora Abril sustentou que as liberdades de comunicação e de atividade econômica são direitos previstos na Constituição. Esses direitos, disse a editora, "não podem ser sufocados por medidas de cunho censor sob a alegação de imaginária propaganda eleitoral".


TERRORISMO >>> Ex-Ministro dos Esportes, no governo Lula, usou o Twitter para elogiar o ato de invasão e terrorismo, praticado por bandidos que usam carteirinha de estudante. Vale lembrar que Orlando Silva caiu por escândalos de corrupção e uso irregular dos cartões corporativos. Como se percebe, é um desqualificado, envolvido com a corrupção. Certamente, Orlando Silva também defende a roubalheira na Petrobras.

O mais grave é que o ex-ministro confunde os significados de verbos. No Twitter, Orlando Silva cumprimentou os estudantes, candidatos à guerrilha, por  “denunciar” a revista Veja. Invadir, depredar, destruir, ameaçar, vandalizar não são sinônimos de “denunciar”. Até agora, não. Pode ser que sejam sinônimos, no dicionário do PT.

[Com informações do G1 e Correio do Povo]

A LENDA DA GUERRILHEIRA ROBOCOFRE


Na propaganda eleitoral, Dilma Rousseff aparece como “Coração Valente”, uma heroína brasileira, a mãezona do bolsa-voto.

Comparar Dilma com o personagem de um clássico do cinema norte-americano é, no mínimo, uma aberração. A começar pelo currículo.

Coração Valente  é o título que o filme “Braveheart - O Desafio do Guerreiro” recebeu no Brasil, onde fez imenso sucesso. Trata-se de  um filme norte-americano de 1995, estrelado e realizado por Mel Gibson. Braveheart recebeu dez indicações para o Oscar, ganhou em cinco categorias, incluindo Melhor Filme e Melhor Direção (Para Mel Gibson).

O filme retrata a figura histórica de William Wallace, guerreiro, patriota escocês e herói medieval. A ação situa-se em finais do século XIII, tempo em que os rebeldes escoceses lutavam contra o domínio do rei inglês Eduardo I.

Em síntese, o herói do filme, luta por sua gente, é ético, é correto. Luta pela independência de seu povo.

Dilma faz bem o contrário. Em sua epopeia de guerrilheira, Dilma se envolveu em escaramuças com as autoridades de segurança. Seu grupo de guerrilheiros assaltou bancos, roubou residências, seqüestrou um embaixador dos Estados Unidos. Dilma, Zé Dirceu e outros lacaios de Cuba, tentaram impor, ao Brasil, uma ditadura comunista.

Agora, a presidente-guerrilheira está tentando a mesma façanha. Trocou as armas e o chumbo por uma caneta de ouro. Incorporou Estela, a guerrilheira do passado, e afasta o Brasil dos aliados democráticos. Vai empurrando nosso país para bem pertinho de ditaduras, como Cuba, China e outras.

Devido a essa estratégia errada, motivada por uma ideologia arcaica, os investimentos estrangeiros estão caindo e as exportações estão em baixa, comprometendo a balança comercial, que vem acumulando resultados negativos.

Eu prefiro comparar a presidente petista com o personagem central do filme/série RoboCop. A começar pela postura. Dilma quando fica irritada, nos debates, não parece um robô? Um robô desajeitado, truculento. Com uma diferença. O personagem do cinema usa uma armadura de lata.

Dilma se veste insistentemente com panos vermelhos. Podem ser modelitos caros, assinados por algum estilista, que manda contas altíssimas para o Palácio do Planalto pagar. Mas, eu vejo a carapaça da robocop brasileira como trapos de bandeiras de ditaduras sanguinárias e governos corruptos. 

Os petistas que endeusaram o trambolho Lula da Silva no cinema, bem que poderão fazer o mesmo com Dilma Rousseff.

Vou dar uma sugestão de título. O filme poderá se chamar A lenda da Guerrilheira Robocofre. A trama, de muita ação e suspense, que deverá envolver guerrilha urbana e corrupção, poderá ser rodada em alguma instalação da Petrobras. Com direito a um financiamento de dez bilhões de dólares, com certeza o filme será um sucesso de crítica e de público. 

[25 10 14]


sexta-feira, outubro 24, 2014

A VOZ QUE AMEAÇA O BRASIL PEDE VOTOS PARA O PT


>>> Tudo indica que os telefonemas são feitos de dentro de presídios, dos mesmos “escritórios” que comandam o terror, com fogo, sangue e chumbo.

Desde terça, ou quarta-feira (21 / 22 de outubro), os brasileiros estão recebendo ligações de interlocutores, que estão pedindo votos para a candidatura do PT. Mais do que pedir votos para Dilma Rousseff, a “voz” elenca os motivos pelos quais não se deve, de forma alguma, votar em Aécio Neves.

Entre os motivos alegados, consta que o candidato do PSDB, se eleito, vai acabar com o Bolsa Família (nos últimos anos, transformado em bolsa-voto), os brasileiros vão perder o emprego, o salário mínimo vai cair, a inflação vai aumentar. Quem tem imóvel financiado, principalmente através de projetos sociais como “Minha casa, minha vida”, vai ficar sem teto. O Brasil vai parar com Aécio, ameaça a voz.

Alegam, inclusive, que o senador Aécio Neves é traficante de cocaína. Isso é grave, porque a afirmação parte justamente de traficantes e envolvidos com o tráfico, que habitam presídios e também palácios.

A “voz” esquece de dizer quais são os políticos que têm ligações com as Farc, com os cocaleiros da Bolívia, além de um “diálogo franco” com terroristas.

O elenco de motivações para continuar apoiando Dilma e deixar tudo como está é bem maior. Mas, ficamos com essas alegações citadas.

Isso é o que se pode classificar como terrorismo eleitoral. O mais grave é que ninguém investiga. Todos se calam. Como Dilma Rousseff não mandou a Polícia Federal investigar, a PF não investigou.

Enquanto isso, o TSE continua com a sua propaganda enganosa, garantido que estamos numa democracia, que o voto é sigiloso, que as urnas são seguras. Isso é uma verdade parcial. Porque as urnas são seguras, até a hora que o voto é depositado. Mas, e depois? Estudos de especialistas indicam que o sistema de urnas eletrônicas praticado no Brasil não é seguro. As urnas podem ser fraudadas, garante técnicos.

Mas, o que está em questão, nesse momento, é o terrorismo por telefone. Após toda a argumentação, que acaba convencendo pessoas menos esclarecidas e medrosas, vem a fase do constrangimento.

A voz explica que Aécio vai trazer desgraça para o Brasil. E quando o ouvinte discorda, vem a etapa das ameaças. Porque “os irmão” não querem o Aécio no poder. Porque “ele vai mexer na lei, pra prejudicar os irmão”. A voz garante que “o Aécio vai ferrar com os irmão de menor”. Numa alusão à proposta de reduzir a maioridade penal para 16 anos.

Portanto, o jeito é votar na Dilma. A candidata do PT e outros petistas nem mesmo admitem debater o assunto. "Não se pode prejudicar os meninos", costuma dizer Lula da Silva. 

Nitidamente, inclusive com base no vocabulário, os telefonemas são feitos de dentro de presídios, dos mesmos “escritórios” que comandam o terror, com fogo, sangue e chumbo. Como aconteceu em Santa Catarina, antes do primeiro turno.

[24 10 14]


quinta-feira, outubro 23, 2014

A DESTRUIÇÃO SILENCIOSA DO RIO ARIRIÚ



“Sentado” à beira do riacho, à sombra de uma figueira, o velho sofá parece aguardar o rabo do antigo dono
Fotos: Baby Espíndola Repórter

O que os ribeirinhos estão fazendo com o Rio Aririú, deve ser entendido como crime. Não apenas um crime ecológico, conforme as leis em vigor. É um crime de falta de respeito, de ausência total de consciência e cidadania.

Jogam de tudo no rio, que também é conhecido como Rio Pacheco, porque corta o bairro com esse nome, para depois desaguar na Barra do Aririú. Mas, é o Rio Aririú, que nasce lá para as bandas do Alto Aririú, ainda em terras de Palhoça, na divisa com Santo Amaro da Imperatriz.

As fotos mostram a degradante imagem de um sofá velho. As peças menores foram arrastadas pelas águas das últimas chuvas. Só o trambolho mais pesado, permanece há bem mais de dois meses, na margem esquerda do rio, perto da Mercearia Pacheco.

O pior de tudo é que, justamente, as pessoas que jogam no rio, tudo o que não interessava mais, são as mesmas que se alvoraçam, como marimbondos, se o rio sobe acima do nível normal, após uma intensa chuva. São elas as grandes responsáveis pelo assoreamento.

Além de plásticos, papéis, colchões velhos, restos de madeira e de lixo doméstico, que flutuam e são visíveis, o fundo lamacento do velho Aririú guarda “tesouros” ocultos.

No fundo das águas turvas, se acumulam geladeiras velhas, fogões inúteis, restos de eletrodomésticos em geral, pneus, peças de carro. Tudo que é considerado inservível, pelos ribeirinhos, é atirado ao rio. Detalhe importante. Os ribeirinhos de agora, não são nativos, são invasores das barrancas do rio.

Incrível como o Ministério Público Federal não dá atenção a esse fato. Talvez porque os ribeirinhos são os “pobri”, protegidos por ideologias falsamente socialistas.

Vale lembrar que o mesmo Ministério Público Federal anda assanhado, ameaçando demolir as obras de toda a colonização histórica, que cresceu à beira do mar e de lagoas.

A Lagoa da Conceição é o alvo preferido dos intransigentes defensores do meio ambiente. Mas, as “otoridades” federais já estão metendo o bico onde não devem, inclusive aqui na nossa Palhoça.

[23 10 14]






PRIMEIRO, FOI O DÓLAR NA CUECA. DEPOIS, EURO NA CALCINHA


A bagunça nacional é bem pior do que você pode imaginar. Primeiro, foi o dólar na cueca, onde o pintinho, de tão minúsculo, desapareceu entre as cédulas esverdeadas.

No caso em questão, a transportadora de dinheiro é uma calcinha. E a inquilina da calcinha, é uma poderosa, uma farta visão do pecado, com amplo espaço para alguns milhares de euros.

Vamos relembrar. São relembranças desagradáveis, escandalosas, cômicas, hilárias. Vamos voltar no tempo...

Pois bem. Em 2005, no auge do escândalo do mensalão, uma faraônica obra de Lula da Silva, fomos agraciados com um episódio grotesco. Um fato inesquecível, no currículo peçonhento do PT, o partido que mais protagonizou escândalos no país: mais de 40, em doze anos – apoiado pelo podre PMDB, claro.

Estamos relembrando a prisão de um assessor do PT do Ceará, no Aeroporto de Congonhas. José Adalberto Vieira foi preso quando tentava embarcar para Fortaleza, com 200 mil reais em uma mala, além de 100 mil dólares na cueca.

Brasileiros de memória curta, relembrem. Adalberto era assessor do deputado estadual José Nobre Guimarães, irmão do então presidente do PT, José Genoino. O Zé Genoino, aquele que, quando entra ou sai da cadeia, faz um desafiador gesto de herói nacional, o que deixa o amigo Lula da Silva imensamente emocionado. Lula vai às lágrimas. Fica todo arrepiado.

Mesmo sem relação com o mensalão, os dólares na cueca carimbaram a queda de Genoino.

Mas, agora, o transporte de moedas estrangeiras abaixo da linha da cintura ganhou um novo episódio.

Desta vez, não é um pintinho minúsculo, sufocado pelos valorizados dólares. Agora, a agente do crime é uma sufocada. Uma sofredora. Uma violentada.

Pois muito bem. Vamos aos fatos. A doleira Nelma Kodama escondeu 200 mil euros na calcinha, e acabou presa pela Polícia Federal, no aeroporto de Guarulhos, quando se preparava para embarcar para a Europa. Devido ao número de cédulas, ou a calcinha é um calção, um cuecão vermelho, ou a gaveta da Nelma é espaçosa demais.

Detalhe 1, que não pode ser esquecido. Nelma foi alvo da Operação Lava Jato, que prendeu quadrilhas que enriqueceram com lavagem de dinheiro.

Detalhe 2, que não pode ser esquecido. O dinheiro 'lavado' era oriundo do tráfico de drogas, sonegação de impostos e até contrabando de pedras preciosas.

Segundo informou o Estadão, Nelma alegou que iria usar os 200 mil euros da calcinha, para comprar móveis na Europa. Ela disse que os valores não foram declarados porque o posto da Receita Federal estava fechado. Mas a usuária da calcinha estava bem aberta, para receber a montanha de euros.

Nelma gosta de ser apresentada como "a grande dama do mercado de câmbio", conforme escreveu a Folha de São Paulo.

Detalhe 3, que não pode ser esquecido. Antes de ser monitorada pela PF, Nelma já tinha sido investigada pela CPI dos Bingos, no Congresso Nacional.

Detalhe 4, muito importante, que não pode ser esquecido. Em 2006, parlamentares apuravam, se Nelma tinha comprado dólares para o PT, durante a campanha eleitoral de 2002. "Não conheço", "nunca vi" e "não sei", foram as respostas mais comuns de Nelma Kodama, na sessão de 9 de março de 2006.

Detalhe 5, importantíssimo. Nelma sofre do mesmo mal de esquecimento, a síndrome Lula da Silva.

>>> Puxei esse assunto, porque, na quarta-feira, 22, Nelma Kodama, acusada de atuar em parceria com Alberto Youssef (o doleiro do caso Petrobras), foi condenada a 18 anos de prisão, em regime fechado. A sentença foi publicada nesta quarta-feira, pela Justiça Federal do Paraná. Segundo a denúncia, a calcinha de Nelma virou transportadora de dinheiro do crime.

Baby Espíndola

[23 10 14]

quarta-feira, outubro 22, 2014

CAMILO MARTINS RECEBE DIRETORIA DO MOTO CLUBE ASAS DO DESTINO



Miranda e Vilmar, com Camilo: projeto social
Foto: Baby Espíndola Repórter

Representantes da diretoria do Moto Clube Asas do Destino foram recebidos, hoje (quarta, 22), pelo prefeito Camilo Martins, para tratar de um “projeto de abrangência social”, segundo revelaram.

Vilmar Knoth, presidente e Valdir Aristides Miranda, presidente-fundador, apresentaram, ao prefeito Camilo, o esboço de um audacioso projeto, que propõe a criação de “uma área de integração para a comunidade, com espaço para creche, escola profissionalizante em mecânica de motos, espaço de bem estar para a terceira idade, além de uma arena de motocross”.

Camilo Martins demonstrou clara simpatia ao projeto e sugeriu, à direção do Asas do Destino, uma definição do bairro onde a obra social será implantada. “A Prefeitura deseja ser parceira desse projeto, em tudo o que for possível”, disse o prefeito.

Os diretores revelaram, ao prefeito, que o objetivo da Ong “é promover a ação social comunitária, fazendo com que os idosos, os jovens e as crianças convivam num centro de referência e de acolhimento na comunidade”.

O projeto visa “englobar escolas profissionalizantes, para o jovem sair com sua primeira profissão, para o grupo da terceira idade promover a integração, exercícios físicos. É um projeto de inclusão social”, explicaram os diretores do Asas do Destino.

A Arena Municipal de Motocross deverá agregar Educação, esporte, cultura e lazer, “promovendo a prática de uma das competições mais conhecidas no mundo, que é, justamente, o motociclismo esportivo”.

O Moto Clube Asas do Destino é considerado de “utilidade pública”, pela Prefeitura de Palhoça.



<<>>

Ouça a Rádio Cambirela - Virtual, mas real.




terça-feira, outubro 21, 2014

DILMA EDITA MEDIDA PROVISÓRIA DA IMPUNIDADE

>>> Como forma de protesto, a Polícia Federal anuncia greve a partir da noite de quarta-feira.

Baby Espíndola

Na calada da noite, a presidente-candidata, Dilma Rousseff, editou a Medida Provisoria 657-14, que altera a hierarquia dentro da Polícia Federal. Em protesto, setores da PF anunciaram, em nota à imprensa, greve nacional, a partir de quarta-feira (22).

Por motivos mais que óbvios, a MP 657 está sendo tratada como “medida provisória da impunidade”. Trata-se de uma represália do Governo Federal ao vazamento de informações dos depoimentos do ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, e do doleiro Alberto Youssef, delatores do esquema de corrupção da Petrobras.

Pegos na Operação Lava a Jato da Polícia Federal, os dois estão colaborando com as autoridades, em delação premiada autorizada pela Justiça, em troca de redução de suas penas.

Dilma não considerou “estarrecedor”, o esquema de corrupção, que desviou mais de dez bilhões de dólares, para o PT, PP e o PMDB, inclusive para as campanhas petistas de 2010. Dilma Rousseff foi candidata naquele ano, e venceu as eleições.
Mas, considerou “altamente estarrecedor” a revelação de parte dos depoimentos sobre a lavagem de dinheiro nos óleos da Petrobras.

DELAÇÃO PREMIADA
Segundo depoimento de Paulo Roberto Costa, ao Ministério Público Federal, o esquema de corrupção na Petrobrás repassou algumas fortunas para políticos, principalmente do PT. Para a campanha da ex-ministra Gleisi Hoffmann (PT-PR), o esquema teria liberado um milhão de dólares.

Gleisi, que é casada com o Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, se elegeu ao Senado, em 2010, mas licenciou-se, para assumir o cargo de ministra-chefe da Casa Civil, no início do governo da presidente Dilma Rousseff. Repetindo Lula, Dilma não sabia de nada.

Nas eleições deste ano, Gleisi Hoffmann concorreu ao governo do Paraná e terminou a disputa em terceiro lugar

Segundo a imprensa, Costa disse que a campanha de Gleisi recebeu ajuda a pedido do doleiro Alberto Youssef, apontado como operador de um esquema que teria desviado recursos da Petrobras para partidos políticos. Pegos na Operação Lava a Jato da Polícia Federal, os dois estão colaborando com as autoridades, em delação premiada autorizada pela Justiça, em troca de redução de suas penas.

Na delação premiada, Paulo Roberto Costa revela que os contratos da Petrobras eram superfaturados entre 18% e 20%.

Mas, isso não é “estarrecedor”, na visão de Dilma Rousseff. Estarrecedor, segundo a presidente, é denunciar, é apurar os fatos. Por isso, entra em cena a MP 657. A MP da impunidade.

segunda-feira, outubro 20, 2014

AÉCIO BOTA POEIRA EM DILMA NA CORRIDA DO SEGUNDO TURNO


>>> Se a eleição fosse hoje, Aécio Neves (PSDB) venceria Dilma Rousseff (PT), com quase 13 pontos de vantagem.
Segundo a última pesquisa Istoé / Sensus, Aécio tem 56,4% dos votos válidos e Dilma soma 43,6%. Confira os dados, na íntegra:
>>> Sensus - Pesquisa Presidente 2º Turno
A mais recente pesquisa Istoé/Sensus referente ao segundo da eleição presidencial em 2014, divulgada dia 17 de outubro, mostra Aécio Neves na liderança, 12,8 pontos percentuais à frente da presidente Dilma.
Pesquisa para Presidente da República (Votos Válidos)
Candidato - Intenções de Voto (%)
Aécio Neves (PSDB) - 56,4%
Dilma (PT) - 43,6%
Nos votos válidos, são excluídos da amostra os votos em branco, os nulos e os eleitores indecisos, este é o método utilizado pela Justiça Eleitoral para chegar ao resultado oficial da eleição. O candidato precisa atingir a maioria dos votos válidos para terminar vitorioso no segundo turno.
Pesquisa para Presidente da República (Votos Totais)
Candidato - Intenções de Voto (%)
Aécio Neves (PSDB) - 49,7%
Dilma (PT) - 38,4%
Indecisos/Branco/Nulo/Não Respondeu - 12%
Os eleitores também foram questionados sobre qual candidato não votariam de forma alguma, onde Dilma aparece como a mais rejeitada com 45,4% das menções, enquanto Aécio Neves foi citado por 29,9%.
A pesquisa foi realizada entre os dias 14 e 17 de outubro de 2014 com 2.000 eleitores, nas cinco regiões, 24 Estados e 136 municípios brasileiros. A margem de erro é 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos com um nível de confiança de 95%. A pesquisa está registrada do TSE sob o protocolo nº BR-01094/2014 e foi divulgada no site istoe.com.br.

O TESOUREIRO DO PT É CONSELHEIRO DA ITAIPU BINACIONAL

>>> João Vacari Neto “administrava” dois por cento da propina da Petrobras. Mas, Dilma não pretende demitir o corrupto.
O sinal vermelho está aceso. Foi dado o alerta. O tesoureiro do PT, João Vaccari Neto – que, segundo denúncia, do delator Paulo Roberto Costa, “administrava” dois por cento da propina da Petrobras – é membro do Conselho da Itaipu Binacional.

A denúncia foi feita pelo candidato Aécio Neves (PSDB), durante o debate na TV Record, na noite de domingo (19). Quando a Petrobras era o tema do debate, Aécio disparou: “Aquele (João Vacari Neto), que é denunciado, para recebimento de propina, o tesoureiro do PT, continuará também como membro do Conselho de Itaipu? A senhora confia nele, candidata?”

Dilma gaguejou, perdeu a cor, ameaçou passar mal – mas, viu que não tinha médico cubano por perto, e se recompôs. Porém, não respondeu. Puxou assunto do retrovisor político e não disse coisa com coisa.

Como, quem cala consente, certamente a presidente-candidata pretende manter o corrupto no cargo. É como permitir que o gambá faminto continue cuidando do galinheiro. E, no galinheiro, tem ovos de ouro.

O grave de tudo isso é que, na Itaipu binacional, Vacari tem trânsito livre, crachá no peito vermelho, e assina documentos decisivos.

Na Petrobras, o tesoureiro do PT não tinha esses privilégios. Mesmo assim, contava com as torneiras do propinoduto abertas. O escandaloso esquema, que começou no governo Lula, movimentou mais de dez bilhões de dólares em propina.

Se, na Petrobras, onde era expectador, Vacari recebia dois por cento da propina para o PT, inclusive para financiar a campanha à presidência de 2010, imagine o que ele não é capaz de fazer, com a caneta na mão, em Itaipu. Foi esse o argumento desenvolvido por Aécio Neves, no debate. 
[Baby Espíndola]

quarta-feira, outubro 15, 2014

DILMA DEU ADEUS A MINAS PARA ENTRAR NA LUTA ARMADA



Quem assistiu ao debate entre os candidatos à Presidência da República, na Band, na noite de terça-feira, 14, deve lembrar de uma determinada declaração de Dilma Rousseff.

A candidata do PT, disse que deixou Minas Gerais, “muito cedo”, porque estava sendo “perseguida pela ditadura militar”. Naquele momento do debate, Dilma estava envolta em orgulho. Certamente, se conteve para não pedir um charuto cubano, ao mediador do debate.

Isso é uma meia verdade, que Aécio Neves, talvez por displicência, não rebateu. O candidato deixou de dizer, que Estela, um dos codinomes de Dilma Rousseff, abandonou Minas, para formar trincheira com guerrilheiros urbanos, que agiram, principalmente, em São Paulo. Disse adeus às Minas Gerais e embarcou no comboio da luta armada.

Os grupos de guerrilha, dos quais Estela fez parte, particularmente o Colina (Comando de Libertação Nacional), aterrorizaram o Brasil, no início dos anos 1960. Assaltaram bancos, residência, trocaram tiros com autoridades de segurança, mataram, saquearam, sequestraram um embaixador dos Estados Unidos.

Criaram um estado de terror, muito parecido com o que está acontecendo agora. O cenário de hoje não é muito diferente. Naqueles tempos, ônibus eram incendiados, depredados, e as bases da segurança pública sofriam constantes ataques.

Só quero fazer um questionamento. É motivo de orgulho cometer crimes, crimes tipificados pelo Código Penal?

Como jornalista, combati as arbitrariedades, a violência praticada pelos órgãos de segurança, durante o Governo Militar. Escrevi, protestei, fui chamado a depor algumas vezes. Mas, não cometi os crimes que a turma de Estela praticou.

Para encerrar, volto a ressaltar. Dilma e seus camaradas não lutavam por Democracia. Queriam o poder pelo poder. Estavam embalados pela revolução cubana e pretendiam implantar uma ditadura vermelha, no Brasil, seguindo a cartilha de Fidel Castro. Nos bolsos, carregavam moedas do ouro de Moscou.

Na verdade, Dilma "Estela" Rousseff não deveria ser tão orgulhosa do seu histórico. Deveria, sim, se envergonhar do passado que tem.

O que se percebe, em todos os momentos da campanha, é que Dilma Rousseff, ou Estela, entregou as armas da guerrilha. Mas não abandonou o hábito do charuto cubano, nem consegue se livrar de companhias estranhas. 
[Baby Espíndola]

terça-feira, outubro 14, 2014

O BOLSA-BANDIDO CONTRIBUI PARA QUEBRAR A PREVIDÊNCIA

Um petista, que aceita a lavagem cerebral como um banho de ervas aromatizantes, sugeriu que eu escrevesse sobre o auxílio-reclusão. Resisti. Mas, diante da insistência, concordei em abordar o delicado tema.

Tudo bem. Começo argumentando que o Governo Federal defende o bolsa-bandido como um mecanismo capaz de “garantir a sobrevivência do núcleo familiar, diante da ausência temporária do provedor”.

Tudo muito nobre, muito bonito. Está na lei. Mas essa porcaria de lei, votada e aprovada pelo Congresso Nacional, não demonstra nenhuma sensibilidade com as famílias das vítimas. Não podemos fugir dessa reflexão. O Congresso Nacional está recheado de fichas sujas, senadores e deputados federais condenados, que estão lá se escondendo da justiça e fugindo da polícia.

Na versão dos petistas da cueca vermelha, que protegem bandidos, que abrem “diálogo franco” com terroristas, não são todos os descendentes dos criminosos que têm direito. Ainda bem. Se todos os 500 mil bandidos presos tivessem direito, a Previdência Social já teria falido há muito tempo.

De acordo com o Boletim Estatístico da Previdência Social (Beps), o INSS pagou 33.544 benefícios de auxílio-reclusão, na folha de janeiro de 2012, somando um total de R$ 22.872.321,00. O valor médio do benefício por família, no período, foi de R$ 681,86.

Precisamos fazer uma reflexão. Nem todos os apenados têm direito ao bolsa-bandido. Esse é o nobre argumento dos defensores do auxílio reclusão. Mas, as vítimas dos bandidos não têm direito a nada.

É por isso que, ao acordar, quando os pardais começam a piar no telhado, eu já vou dando vivas à república do mensalão. Um condomínio de luxo, que consegue agregar traficantes, assassinos, sequestradores, guerrilheiros, terroristas, mercenários, refugiados políticos procurados pela Interpol. Todos protegidos pelo manto sagrado do PT esquerdinha.

Essa lei absurda não foi criada pelo governo do PT. Mas, o problema é que os governistas fazem uma defesa veemente do programa. Desconhecem que o auxílio-bandido está contribuindo para a quebradeira da Previdência. E vira as costas para as vítimas dos bandidos.


>>>Num próximo capítulo, pretendo falar da PEC, que propõe o fim do auxílio-reclusão de criminoso e cria benefício para vítimas de crimes.
[14 10 14]