quarta-feira, abril 29, 2009

Editorial – PEDÁGIO EM PALHOÇA, UMA NOVELA SEM FIM

A novela pedágio em Palhoça parece, a cada dia, mais distante de um desfecho feliz para os munícipes. A julgar pelos acontecimentos e o bem bolado discurso de marketeiro, fica difícil até mesmo definir quem é mocinho ou vilão.

Por ora, só temos uma certeza: a cidade é vítima da barganha e negociatas, os munícipes estão sendo enganados por falsas promessas messiânicas. Também temos convicção plena que os brasileiros são explorados vergonhosamente. Pagam altos impostos, inclusive a Cide embutida nos preços dos combustíveis, tudo para melhorar a malha viária, e são explorados uma segunda vez, através do pedágio. Com a mesma argumentação sem-vergonha: melhorar as condições das rodovias e oferecer mais segurança. Como se as fortunas arrecadadas em forma de tributos não fossem suficientes para tal finalidade.

Passamos, agora, a tratar de fatos recentes. Pelo correio eletrônico, chegou essa informação, procedente da Assessoria de Comunicação da Prefeitura: “A passagem da Caravana da Transparência em Palhoça, na segunda-feira, dia 27, para avaliar o andamento das obras de duplicação da BR-101, reforçou a decisão do presidente da FECAM, prefeito Ronério Heiderscheidt (PMDB), de entrar na Justiça, contra a cobrança de pedágio nessa rodovia federal”.

Que ótimo, que a mobilização “reforçou” a intenção do prefeito Ronério. O que, no entanto, não passa de uma boa intenção. A mesma boa intenção que o prefeito já manifestou, há quase um mês, durante reunião com prefeitos de outras cidades, onde foram ou serão implantadas praças de pedágio.

Há que se dizer, que boas intenções devem ser transformadas em decisões, o que deveria ter acontecido nesse período de aproximadamente 30 dias. Sem pretender ser o dono absoluto da verdade, e muito menos duvidar das boas intenções do prefeito Ronério, quero revelar, contudo, que ele, o prefeito, está amarrado ao esquema montado pelo Governo Lula da Silva e a concessionária, ansiosa em arrecadar com o pedágio.

Segundo declarações do próprio prefeito, como compensação pela criação da praça de pedágio no bairro Aririú Formiga, em Palhoça, o Governo Federal se comprometeu em viabilizar recursos para construção de um elevado, ligando o centro histórico da cidade ao Loteamento Pagani, onde estão as sedes do Executivo, do Legislativo e, futuramente, o Fórum de Justiça. Se o prefeito fez acordo, inviabilizou qualquer tipo de reação.

A participação do prefeito na tal caravana foi mais protocolar do que uma forma de protesto. Até agora, a única iniciativa jurídica foi tomada pela Câmara de Vereadores, que impetrou mandato de segurança, com o objetivo de impedir a instalação e funcionamento da praça de pedágio, que separou o município em duas partes, Sul e Norte.

Até essa também bem intencionada investida jurídica da Câmara – que poderá, em breve, render bons frutos, uma liminar, por exemplo –, tem como objetivo principal reabrir um canal de negociação com a turma do Lula privatizador e sua concessionária. O que os vereadores desejam, é que os cerca de 48.000 veículos licenciados em Palhoça, sejam isentados da cobrança.

E é justamente isso o que o prefeito prometeu e até agora não cumpriu. Ronério Heiderscheidt promoveu uma inusitada corrida de munícipes, aos balcões da Receita, todos ansiosos em quitar dívidas com IPTU, o que seria a senha de acesso ao benefício da isenção. Os munícipes, principalmente da Região Sul, pagaram os impostos devidos, cumpriram suas obrigações, mas não foram atingidos pela contrapartida. A Prefeitura não isentou ninguém.

Ninguém é obrigado a prometer. Mas, se promete, deve cumprir. O povo sabe disso. E a voz do povo... é a voz do povo.

< > < > < >

A melhor seleção musical.

Informação com opinião.

RÁDIO CAMBIRELA

Virtual, mas real.

WWW.RADIOCAMBIRELA.COM.BR

< > < > < >

Denúncia do deputado Sargento Soares:

"POLICIAIS SÃO PUNIDOS PORQUE TRABALHAM"

Em recente entrevista, na Rádio Cambirela (www.radiocambirela.com.br), o deputado Sargento Soares (PDT) afirmou, com todas as letras: “Todos os policiais militares, que vinham realizando um bom trabalho, em Palhoça, em favor do povo, foram afastados das ruas”. Disse mais: “Trata-se de um esquema de perseguição mesmo, de alguns oficiais do comando, contra os melhores policiais”. Pergunta óbvia: Por quê? “Porque os melhores policiais cobram mais, se dedicam ao serviço, exigem mais infra-estrutura, criticam a falta de viaturas, a deficiência no sistema de comunicação”, respondeu o deputado.

No caso de Palhoça, segundo o parlamentar, foram transferidos para Santo Amaro da Imperatriz e Florianópolis. “Isso acontece em várias regiões do Estado”, denunciou Soares.

Pelo processo dedutivo, pode-se concluir, então, que os bandidos agradecem ao comando da PM, porque pune e transfere os bons policiais para outras cidades.

< > < > < >

UM SHOW DE SEGURANÇA NA EXPOPALHOÇA

Impossível não reconhecer o bom desempenho da Polícia Militar na ExpoPalhoça. A exemplo da operação segurança, montada no primeiro evento, o trabalho desenvolvido nos dez dias de festividades foi impecável. De uma eficiência além da expectativa.

O esquema de segurança montado pelo comandante da PM em Palhoça, coronel Ernani Fernandes, que envolveu, além do efetivo convencional, também tropas de elite, inibiu a ação dos delinqüentes. Isso é prova inconteste de que a prevenção é, ainda, a melhor arma contra a crescente criminalidade.

Consequentemente, nativos, turistas e visitantes, que circularam entre os estandes da festa, área de shows, praça de alimentação, sentiram-se privilegiados por um sofisticado esquema de segurança, somente visto em países onde o crime é a exceção.

Um comentário:

Carlos Roberto disse...

Parabéns Baby Espindola, tenho a certeza que todos os palhocenses sentem orgulho de poder contar com um repórter sério e competente.
Parabéns.